pataphisica

Qu’est ce que la ’Pataphysique

 

La plus vaste et la plus profonde des Sciences, celle qui d’ailleurs les contient toutes en elle-même, qu’elles le veuillent ou non, la Pataphysique ou science des solutions imaginaires a été illustrée par Alfred Jarry dans l’admirable personne du Docteur Faustroll. Les Gestes et Opinions du Docteur Faustroll, pataphysicien, écrits en 1897-1898 et parus en 1911 (après la mort de Jarry) contiennent à la fois les Principes et les Fins de la Pataphysique, science du particulier, science de l’exception (étant bien entendu qu’il n’y a au monde que des exceptions, et que la «règle» est précisément une exception à l’exception ; quant à l’univers, Faustroll le définissait «ce qui est l’exception de soi».)

Cette Science, à laquelle Jarry avait voué sa vie, les hommes la pratiquent tous sans le savoir. Ils se passeraient plus facilement de respirer. Nous trouvons la Pataphysique dans les Sciences Exactes ou Inexactes (ce qu’on n’ose avouer), dans les Beaux-Arts et les Laids, dans les Activités et Inactivités Littéraires de toutes sortes. Ouvrez le journal, voyez la télévision, parlez: Pataphysique !

 

La Pataphysique est la substance même de ce monde.

(in: Novum Organum du Collège de ’Pataphysique)

livre-faustroll

a criação do “superior instituto de altos estudos patafísicos da nova lusitânia” é uma realidade. já.
a sereníssima sub-comissão dos provedores gerais assim como as  transcomissões e satrapias apenas aguardam a tomada de posse dos excelsos catedráticos.
o “superior instituto de altos estudos patafísicos da nova lusitânia” estará apto a conferir os mais diversos títulos académicos aos seus estudantes…
a saber:
– bacharel titular em estudos patafísicos
– licenciatura-técnica em soluções imaginárias
– pós-graduação em máquinas de leitura (manipulação especializada)
– mestrados em alinhamentos e semi-virtualidades
– doutorados(mentos) em planos, círculos, excepções, plásticas, espirais, estéticas, seduções e outras formas e graças.
os grandesssissimos sátrapas e “enormissimos cornópios” (como diria cortázar) deste recanto europeu, foram já convidados.
aos nossos candidatos a estudiosos deste instituto publicamos aqui alguns documentos – trabalhos  de casa…

calendário perpétuo do dr. faustrol – permite-nos reconhecer as diversas festas supremas e também as do grande vaziu (comuns).

Festas Supremas – principais principais:

ONTOGÉNIE PATAPHYSIQUE

Festas Supremas principais secundárias:
NAVEGAÇÃO DO Dr FAUSTROLL

Festas Supremas secundárias:
FESTA DOS POLIEDROS

Festas Supremas de terceiro grau:
FESTA DA CANDEIA VERDE

Festas Supremas de quarto grau:
St Alambique – “o abstracto”

pat-00

pat-01

pat-02

pat-03

pat-04

pat-05

pat-06

pat-07

pat-08

pat-09

pat-10

pat-11

pat-12

pat-13

Anúncios

Manifesto Canibal Dada

Por: Francis Picabia

picabia

Sois acusados; levantai-vos. O orador só poderá falar se estiverem de pé.

De pé como na Marselhesa,
de pé como no hino russo,
de pé como no God save the king,
De pé como diante da bandeira,

Enfim de pé frente a DADÁ que representa a vida e que vos acusa, a todos, de amar por snobismo, num momento em que isso é caríssimo.
Sentaram-se de novo?
Tanto melhor, dessa forma irão escutar-me com mais atenção.

Que fazem vocês aqui, encerrados sobre vós próprios como ostras sérias? – porque sois sérios, – não é verdade?
Sérios, sérios, sérios até à morte.
A morte é uma coisa séria, ou não o é?
Cada qual morre como um herói ou um idiota, o que é, no fim de contas, o mesmo. A única palavra não efémera é a palavra morte. Será que amam apenas a morte para os outros.

matai-os, matai-os, matai-os.

Apenas o dinheiro não morre, ele parte tão só de viagem.
É um Deus, é aquele que todos respeitam, o personagem sério o dinheiro – o dinheiro é digno de todo o respeito da família. Honra, honra ao dinheiro; aquele que possui dinheiro é um homem honrado.

A honra compra-se e vende-se como o cu. O cu, o cu representa a vida – representa-a como batatas fritas e, todos vós que sois sérios, fedem como a merda de vaca.
DADÁ, não cheira a nada, não é nada, nada, nada.

É como a vossa esperança: nada
É como os vossos paraísos: nada
É como os vossos ídolos: nada
É como os vossos políticos: nada
É como os vossos heróis: nada
É como os vossos artistas: nada
É como as vossas religiões: nada

Vão, gritem, rasguem-me o rosto e quê mais, e quê mais? E eu vos direi sempre que não passais de uns tolos. E que, dentro de três meses, os meus amigos e eu vender-lhes-emos os nossos quadros por uma mão cheia de francos.

DadA por Hugo Ball

Zurique, 14 de Julho de 1916

 

DadA é uma nova tendência da arte. Percebe-se que o é porque, sendo até agora desconhecido, amanhã toda a Zurique vai falar dele. Dadá vem do dicionário. É bestialmente simples. Em francês quer dizer “cavalo de pau”. Em alemão: “Não me chateies, faz favor, adeus, até à próxima!” Em romeno: “Certamente, claro, tem toda a razão, assim é. Sim, senhor, realmente. Já tratamos disso.” E assim por diante.

dada-mona-lisa de m. duchamp

Uma palavra internacional. Apenas uma palavra e uma palavra como movimento. É simplesmente bestial. Ao fazer dela uma tendência da arte, é claro que vamos arranjar complicações. Psicologia Dadá, literatura Dadá, burguesia Dadá e vós, excelentíssimo poeta, que sempre poetastes com palavras, mas nunca a palavra propriamente dita. Guerra mundial Dadá que nunca mais acaba, revolução Dadá que nunca mais começa. Dadá, vós, amigos e Também poetas, queridíssimos Evangelistas. Dadá Tzara, Dadá Huelsenbeck, Dadá m’Dadá, Dadá mhm’Dadá, Dadá Hue, Dadá Tza.

Como conquistar a eterna bemaventurança? Dizendo Dadá. Como ser célebre? Dizendo Dadá. Com nobre gesto e maneiras finas. Até à loucura, até perder a consciência. Como desfazer-nos de tudo o que é enguia e dia-a-dia, de tudo o que é simpático e linfático, de tudo o que é moralizado, animalizado, enfeitado? Dizendo Dadá. Dadá é a alma-do-mundo, Dadá é o Coiso, Dadá é o melhor sabão-de-leite-de-lírio do mundo. Dadá Senhor Rubiner, Dadá Senhor Korrodi, Dadá Senhor Anastasius Lilienstein.

Quer dizer, em alemão: a hospitalidade da Suíça é incomparável, e em estética tudo depende da norma.

dada-messe colagem de raoul hausmann -1920

Leio versos que não pretendem menos que isto: dispensar a linguagem. Dadá Johann Fuchsgang Goethe. Dadá Stendhal. Dadá Buda, Dalai Lama, Dadá m’Dadá, Dadá m’Dadá, Dadá mhm’Dadá. Tudo depende da ligação e de esta ser um pouco interrompida. Não quero nenhuma palavra que tenha sido descoberta por outrem. Todas as palavras foram descobertas pelos outros. Quero a minha própria asneira, e vogais e consoantes também que lhe correspondam. Se uma vibração mede sete centímetros, quero palavras que meçam precisamente sete centímetros. As palavras do senhor Silva só medem dois centímetros e meio.
Assim podemos ver perfeitamente como surge a linguagem articulada. Pura e simplesmente deixo cair os sons. Surgem palavras, ombros de palavras; pernas, braços, mãos de palavras. Au, oi, u. Não devemos deixar surgir muitas palavras. Um verso é a oportunidade de dispensarmos palavras e linguagem. Essa maldita linguagem à qual se cola a porcaria como à mão do traficante que as moedas gastaram. A palavra, quero-a quando acaba e quando começa.
Cada coisa tem a sua palavra; pois a palavra própria transformou-se em coisa. Porque é que a árvore não há-de chamar-se plupluch e pluplubach depois da chuva? E porque é que raio há-de chamar-se seja o que for? Havemos de pendurar a boca nisso? A palavra, a palavra, a dor precisamente aí, a palavra, meus senhores, é uma questão pública de suprema importância.

 Hugo Ball

alfred jarry e a pantaphisica

XL

PANTAPHYSIQUE ET CATACHIMIE

II. – AUTRE FRAGMENT

XL

PANTAFÍSICA E CATAQUIMIA

II. OUTRO FRAGMENTO

Dieu transcendant est trigone et l’âme transcendante théogone, par conséquent pareillement trigone.

Deus transcendente é trígono e a alma transcendente é teógona, por consequência igualmente trígona.

Dieu immanent est trièdre et l’âme immanente pareillement trièdre.
Il y a trois âmes (cf. Platon).
L’homme est tétraèdre parce que ses âmes ne sont pas indépendantes.

Deus imanente é triédrico e a alma imanente, igualmente triédrica.
Há três almas (cf. Platão)
O homem é tetraédrico porque as suas almas não são independentes.

Donc il est donc solide, et Dieu esprit.
Si les âmes sont indépendantes, l’homme est Dieu (MORALE).
Dialogue entre les trois tiers du nombre trois.

L’HOMME: Les trois personnes sont les trois âmes de Dieu.
DEUS: Tres animæ sunt tres personnæ hominis.
ENS: Homo est Deus.

Logo ele é por isso sólido e Deus espírito.
Se as almas são independentes, o homem é Deus (MORAL).
Diálogo entre os três terços do número três.

O HOMEM: As três pessoas são as três almas de Deus.
DEUS: Tres animæ sunt tres personnæ hominis.
ENS: Homo est Deus.

XLI

DE LA SURFACE DE DIEU

Dieu est par définition inétendu, mais il nous est permis, pour la clarté de notre énoncé, de lui supposer un nombre quelconque, plus grand que zéro, de dimensions, bien qu’il n’en ait aucune, si ces dimensions disparaissent dans les deux membres de nos identités. Nous nous contenterons de deux dimensions, afin qu’on se représente aisément des figures de géométrie plane sur une feuille de papier.

Symboliquement on signifie Dieu par un triangle, mais les trois Personnes ne doivent pas en être considérées comme les sommets ni les côtés. Ce sont les trois hauteurs d’un autre triangle équilatéral circonscrit au traditionnel. Cette hypothèse est conforme aux révélations d’Anne-Catherine Emmerich, qui vit la croix (que nous considérerons comme symbole du Verbe de Dieu) en forme d’Y, et ne l’explique que par cette raison physique, qu’aucun bras de longueur humaine n’eût pu être étendu jusqu’aux clous des branches d’un Tau.

XLI

DA SUPERFÍCIE DE DEUS

Deus é, por definição, inextenso, mas é-nos permitido, pela clareza do nosso enunciado, supor nele um qualquer número de dimensões superiores a zero, se bem que ele nenhuma tenha, caso estas dimensões desaparecessem nos dois membros das nossas identidades.

Contentar-nos-emos com duas dimensões, a fim de representar mais facilmente figuras de geometria plana sobre uma folha de papel.

Simbolicamente, Deus é significado por um triângulo, mas no qual as três Pessoas não devem ser consideradas nem como os vértices nem como os lados. São as três alturas de um outro triângulo equilátero circunscrito ao tradicional. Esta hipótese é conforme às revelações de Anne-Catherine Emmerich, que viu a cruz (que consideraremos como símbolo do Verbo de Deus) em forma de Y, e apenas o explica pela razão, física, de que nenhum braço de comprimento humano poderia ser estendido senão até às uniões dos ramos de um Tau.

Donc, POSTULAT:

Jusqu’à plus ample informé et pour notre commodité provisoire, nous supposons Dieu dans un plan et sous la figure symbolique de trois droites égales, de longueur a , issues d’un même point et faisant entre elles des angles de 120 degrés. C’est de l’espace compris elles, ou du triangle obtenu en joignant les trois points les plus éloignés de ces droites, que nous nous proposons de calculer la surface.

Soit x la médiane prolongement d’une des Personnes a, 2 y le côté du triangle auquel elle est perpendiculaire, N et P les prolongements de la droite (a + x) dans les deux sens à l’infini.

Nous avons:
x = ∞ – N – a – P.

Or

N = ∞ – 0.

et

P = 0.

D’où

x = ∞ – (∞ – 0) – a – 0 = ∞ – ∞ + 0 – a – 0

x = – a.

D’autre part, le triangle rectangle dont les côtés sont a, x et y nous donne

a2 = x2 + y2.

Il vient, en substituant à x sa valeur (-a)

a2 = (-a)2 + y2 = a2 + y2.

D’où

y2 = a2 – a2 = 0

et

y = √0.

Donc la surface du triangle équilatéral qui a pour bissectrices de ses angles les trois droites a sera

S = y(x + a) = √0(- a + a)

S = 0 √0.

Logo, POSTULADO

Até se saber mais e para nossa comodidade provisória, supomos Deus num plano e sob a figura simbólica de três rectas iguais, de comprimento a, saídas de um mesmo ponto e fazendo entre elas ângulos de 120 graus. É do espaço compreendido entre elas, ou do triângulo obtido ao juntar-se os três pontos mais distantes destas rectas, que nos propomos medir a superfície.

Seja x a mediana prolongamento de uma das Pessoas a, 2y o lado do triângulo ao qual ela é perpendicular, N e P os prolongamentos da recta (a + x) nos dois sentidos ao infinito.

Temos:

x = ∞ – N – a – P.

Ou

N = ∞ – 0.

e

P = 0.

Daí

x = ∞ – (∞ – 0) – a – 0 = ∞ – ∞ + 0 – a – 0

x = – a.

Por outra parte, o triângulo rectângulo cujos lados são a, x e y dá-nos

a2 = x2 + y2.

Pelo que, substituindo x pelo seu valor (-a)

a2 = (-a)2 + y2 = a2 + y2.

De onde

y2 = a2 – a2 = 0

e

y = √0.

Logo, a superfície do triângulo equilátero que tem por bissectrizes dos seus ângulos as três rectas a será

S = y(x + a) = √0(- a + a)

S = 0 √0.